"Se os que me viram já cheia de graça
           Olharem bem de frente para mim,
           Talvez, cheios de dor, digam assim:
           'Já ela é velha! Como o tempo passa!...' "

 
                         (Velhinha - Sonetos de Florbela Espanca)
Magnus Lázaro
"Foi pelo Outono que comecei a arder nas tardes do teu corpo." (João Rui de Souza)
CapaCapa
TextosTextos
ÁudiosÁudios
FotosFotos
PerfilPerfil
Livro de VisitasLivro de Visitas
ContatoContato
Textos


Ausência
 
A distância nos separa,
Numa hora imprecisa.
Penso em você, minha cara,
Junta a nós, mesmo indecisa.
 
Que as horas passem com urgência,
Temos saudades do seu sorriso!
Perdemo-nos em demência,
E choramos à distância, por isso.
 
Anda, venha embora!
Surge o dia, é a aurora!
Não a vejo na sala...
 
Achei, no corredor, sua mala...
Não estava vazia... Cruel!
Sem você, somos uma babel...
 
Magnus Lázaro
Enviado por Magnus Lázaro em 11/07/2012
Alterado em 13/07/2012
Copyright © 2012. Todos os direitos reservados.
Você não pode copiar, exibir, distribuir, executar, criar obras derivadas nem fazer uso comercial desta obra sem a devida permissão do autor.


Comentários

Site do Escritor criado por Recanto das Letras
"Pássaros que voam sem destino; pássaros que fazem morada aqui e acolá são como sementes que nascem sem saber onde morar"!
                                                                                   
                                                                                                      Magnus Lázaro

                                                       "Sonho que sou um cavaleiro andante.
                                               Por desertos, por sois, por noite escura,
                                               Paladino do amor, busco anelante
                                               O palácio encantado da Ventura!"

                                                         
(O Palácio da Ventura -Antero de Quental)