"Se os que me viram já cheia de graça
           Olharem bem de frente para mim,
           Talvez, cheios de dor, digam assim:
           'Já ela é velha! Como o tempo passa!...' "

 
                         (Velhinha - Sonetos de Florbela Espanca)
Magnus Lázaro
"Foi pelo Outono que comecei a arder nas tardes do teu corpo." (Joăo Rui de Souza)
CapaCapa
TextosTextos
ÁudiosÁudios
FotosFotos
PerfilPerfil
Livro de VisitasLivro de Visitas
ContatoContato
Textos


Amor e Ódio
 
Dentro do peito do Judas fariseu
Viveu o ódio de um sacerdote Aiatolá!
Alto lá camarada! Ele não é Romeu...
Ele não é de briga; ele é filho de Alá!
 
No deserto, enamorou-se por Julieta
Êta, êta, êta... flores rosáceas e camafeu
Seu presente não é guerra nem mutreta,
Sua faceta impinge cólera ao judeu...
 
Correr de braços abertos até a sacristia
É forma de amar ao próximo com galhardia...
A guerra fria acabou; já a outra começou!
 
Comer-se-á o que dão; o que o diabo amassou...
Guerra aos reclamos do império nefasto!
Nem tudo será rosa; o mundo não é casto!
 
Magnus Lázaro
Enviado por Magnus Lázaro em 07/03/2015
Copyright © 2015. Todos os direitos reservados.
Você não pode copiar, exibir, distribuir, executar, criar obras derivadas nem fazer uso comercial desta obra sem a devida permissão do autor.


Comentários

Site do Escritor criado por Recanto das Letras
"Pássaros que voam sem destino; pássaros que fazem morada aqui e acolá são como sementes que nascem sem saber onde morar"!
                                                                                   
                                                                                                      Magnus Lázaro

                                                       "Sonho que sou um cavaleiro andante.
                                               Por desertos, por sois, por noite escura,
                                               Paladino do amor, busco anelante
                                               O palácio encantado da Ventura!"

                                                         
(O Palácio da Ventura -Antero de Quental)