"Se os que me viram já cheia de graça
           Olharem bem de frente para mim,
           Talvez, cheios de dor, digam assim:
           'Já ela é velha! Como o tempo passa!...' "

 
                         (Velhinha - Sonetos de Florbela Espanca)
Magnus Lázaro
"Foi pelo Outono que comecei a arder nas tardes do teu corpo." (João Rui de Souza)
CapaCapa
TextosTextos
FotosFotos
PerfilPerfil
Livro de VisitasLivro de Visitas
Textos
Título Categoria Data Leituras
O Pé de Fruta Pão Poesias > Recordações 29/03/11 308
A Queda do Muro de Berlim Crônicas 11/01/13 213
O Sufoco Que Passei no Ônibus em Strasburgo Crônicas 09/06/12 189
O Banheiro Público Crônicas 22/05/12 189
Um Ser Sombrio Poesias > Pensamentos 12/11/10 174
A Estação Fantasma Crônicas 25/04/13 167
Depois de Meia Noite, Tudo Começa Crônicas 26/08/10 161
Negro Nagô Poesias > Recordações 15/11/10 144
Um Bilhete Retirado do Baú Cartas 08/08/13 88
Acróstico para um Letrado Acrósticos 22/01/11 85
As Loiras e o Filé Pensamentos 24/08/11 84
Samba de Roda Poesias > Regionais > Caipira 22/01/11 83
As Meninas da Etiópia Poesias > Social 01/06/10 82
No Cinema Textos Eróticos > Poesias 03/11/11 80
O Pânico! (o que não desejo para ninguém) Crônicas 16/03/11 78
Ao Povo o Que é do Povo; à Lei o Que é de Lei! Crônicas 16/03/11 70
Brazucas em Lisboa Crônicas 02/04/12 69
Morena fogosa Poesias > Sensuais 03/07/10 69
À Vera Acrósticos 30/05/17 64
Os Baianos na TV em Portugal Crônicas 02/05/12 63
Página 1 de 19 1 2 3 4 5 6 7 8 9 10 » [próxima»]
Site do Escritor criado por Recanto das Letras
"Pássaros que voam sem destino; pássaros que fazem morada aqui e acolá são como sementes que nascem sem saber onde morar"!
                                                                                   
                                                                                                      Magnus Lázaro

                                                       "Sonho que sou um cavaleiro andante.
                                               Por desertos, por sois, por noite escura,
                                               Paladino do amor, busco anelante
                                               O palácio encantado da Ventura!"

                                                         
(O Palácio da Ventura -Antero de Quental)